slider

Destaques

POSTS RECENTES

Vale Sagrado dos Incas: tudo que você precisa saber!

16 de outubro de 2019

Não é atoa que o Vale Sagrado dos Incas é um dos lugares mais visitados da região de Cusco, eu diria que é fundamental para quem viaja ao Peru pela primeira vez e deseja entender um pouco da história do povo Inca, suas tradições, a forma com que eles dominavam a arquitetura, a agricultura e a astrologia. O ideal inclusive é conhecê-lo antes de ir a Machu Picchu.

Neste post vamos dar todos as informações e dicas de como ir de Cusco ao Vale Sagrado, valores, principais atrações e contar como foi a nossa 
experiência entre as imensas ruínas, artesanatos, povos indígenas... teve até um almoço típico. Confira!


O que fazer em Cusco: Passeio ao Vale Sagrado dos Incas
Ollantaytambo - Vale Sagrado dos Incas


DE CUSCO AO VALE SAGRADO DOS INCAS:  

Para você entender: o "Vale Sagrado" não é apenas um único lugar, mas sim  uma região que reúne várias cidades, cercadas por montanhas (os Andes peruanos) e riachos, o maior e principal deles é o Rio Urubamba (ou Vilcanota).

Os Incas escolheram viver ali justamente por essas riquezas naturais que favoreciam especialmente a agricultura, até hoje inclusive se produz na região muitos dos melhores ingredientes da culinária peruana, entre eles inúmeras variedades de batatas e de milho.

As cidades mais turísticas e visitadas do Vale Sagrado são: Pisac, Urubamba, Ollantaytambo e Chinchero. Cada uma com suas atrações: sítios arqueológicos, mercados de artesanatos, povoados indígenas, etc. As mais próximas estão a cerca de 30km de Cusco, mas há uma distância razoável entre cada uma delas.

Por isso a forma mais comum e ideal para conhecer o Vale Sagrado é através de um tour com agência de turismo.


Como chegar ao Vale Sagrado, Cusco

COMO FAZER O PASSEIO, DICAS E VALORES: 

Nós fomos com a Machupicchu Travel e super recomendo! Eles nos deram total atenção antes e durante a viagem, tem suporte via WhatsApp 24h, os guias são ótimos (deixaremos os contatos no fim deste post). 

O passeio bate e volta saindo de Cusco dura o dia inteiro (das 8h as 19h aproximadamente), inclui traslado do hotel, guia, visita aos principais lugares de Pisaq, Urubamba, Ollantaytambo, Chinchero e ainda um delicioso almoço típico. O valor na ocasião foi 85 soles ou $25 dólares por pessoa. (em outubro/2019).

Atente-se que não está incluso o BTC (boleto turístico de Cusco), um bilhete necessário para acessar as atrações do Vale Sagrado e outras que você certamente irá visitar em outros tours. (explicamos do que se trata, como comprar e os valores AQUI).

Outra opção comum (oferecida também pela agência) é unir o tour ao Vale Sagrado com a ida a Machu Picchu, já que é em Ollantaytambo que fica a estação de Trem que te leva até Águas Calientes, porta de entrada para Machu Picchu, explicamos tudo AQUI!

Neste caso, ao invés de voltar para Cusco no mesmo dia, você pode ficar hospedado na região do Vale Sagrado (que já é metade do caminho) e no outro dia seguir viagem de trem para Machu Picchu). No final deixaremos dicas de hotéis para todos os bolsos.


Ollantaytambo - Vale Sagrado, Cusco
Vale Sagrado - Vista de Ollantaytambo

Maras e Moray são outros dois lugares imperdíveis do Vale Sagrado, onde estão as famosas salineiras de Maras. Conhecer tudo no mesmo dia ficaria muito corrido, por isso as empresas mais sérias oferecem esse tour de Maras e Moray num outro dia, saiba mais AQUI.

Tipón, Pikillacta e Andahuaylillas teoricamente também fazem parte do Vale Sagrado. São sítios arqueológico e vilarejos interessantes, porém menos turísticos. Ainda assim existe um passeio oferecido pelas agências chamado "Vale Sul".

Recomendações:

• Em relação a Cusco o Vale Sagrado está num nível mais baixo (2.800m de altitude), mais um motivo para ser um dos seus primeiros passeios.

• Tem bastante sobe e desce entre as ruínas... nada de muuuita dificuldade, haviam pessoas de todas as idades no grupo conosco. Os guias ajudam, foi tudo feito com calma, respeitando o tempo e os limites de cada um, mas vá com disposição! 

• Use roupas e calçados confortáveis, tenha sempre um casaco. Fomos em outubro, o clima estava agradável, mas em alguns lugares ventava bastante e sempre dava aquela geladinha!

• Leve água para ir dando pequenos golinhos, tenha umas folhinhas de coca para mascar caso sinta os efeitos da altitude (mesmo sendo mais tranquilo do que Cusco, seu corpo ainda pode estar se adaptando). Chocolate também ajuda! ;)

Agora que você já tem as informações básicas, vamos contar como foi o nosso Tour especial ao Vale Sagrado dos Incas. Partiu?

TOUR AO VALE SAGRADO DOS INCAS

O guia da Machupicchu Travel passou no nosso hotel em Cusco no horário combinado, as 8h, nos unimos ao grupo e pegamos a estrada em direção ao Vale Sagrado.

PISAC

Nossa primeira parada foi no tradicional Mercado de Pisac, (30km de Cusco), onde os artesãos e comerciantes de todo o Vale se reúnem para vender seus artigos (peças têxteis, bolsas, poncho, bijuterias e muitas outras coisas.)


Tudo sobre o Vale Sagrado dos Incas

É um lugar colorido, alegre, ótimo para observar o povoado indígena com aqueles trajes típicos do Peru, lhamas, alpacas... Se quiser tirar fotos com eles lembre-se de ir com alguns trocados no bolso para dar de "propina" (calma, não há nada de errado, propina para eles significa gorjeta, rs). 

Em frente ao mercado há uma loja que vende artigos em prata, o guia nos levou até para mostrar como as peças são feitas, tivemos tempo para comprinhas e usar os toaletes.

A próxima parada foi no complexo arqueológico de Pisac. Chegando lá o guia nos contou diversas curiosidades do local.


Pisac, Cusco - Peru

Pisac era uma das maiores cidades Incas, mais importante inclusive que Machu Picchu (economicamente falando), onde toda a produção agrícola da região era controlada. A vista panorâmica era usada para observação astronômica e também para proteger Cusco de possíveis ataques inimigos.

Por conta das variações do clima e altitude Pisac também era usada para experimentos agrícolas, ali se desenvolveram diferentes espécies de grão.


De Cusco ao Vale Sagrado dos Incas

Quando estiverem lá, reparem nos "buraquinhos" das montanhas, na verdade o maior cemitério inca descoberto até os dias de hoje. As pessoas eram enterradas ali junto com seus objetos de ouro e prata. Ao longo dos anos saqueadores descobriram o tesouro e não deu outra, abriram as tumbas e deixaram somente os ossos e os buracos nas montanhas!


Ruínas de Pisac - Vale Sagrado, Cusco - Peru

Como é o passeio ao Vale Sagrado dos Incas

Tivemos tempo para subir até as ruínas, de onde se tem uma das vistas mais privilegiadas do Vale Sagrado. Valeu a pena, depois foi só respirar fundo e admirar aquela paisagem impressionante!


Dicas do Vale Sagrado dos Incas

ALMOÇO TÍPICO

A manhã toda já havia se passado e depois das andanças era hora de reabastecer as energias. Seguimos até a cidade de Urubamba para um almoço típico (incluso no passeio).

Um restaurante muito agradável e bem decorado chamado Paqharina, acostumado a receber os turistas. A comida é servida no estilo buffet a vontade com muitas opções de saladas, grãos, carnes, peixes (incluindo ceviche), sobremesas... Tudo muito saboroso, com molhos bem temperados (eles adoram o sabor picante). Uma experiência maravilhosa da gastronomia peruana.


Onde comer no Vale Sagrado

OLLANTAYTAMBO

Depois do almoço visitamos a Cidadela de Ollantaytambo, e se já havíamos gostado de Pisac, ficamos ainda mais encantadas com Ollanta (para os mais íntimos, já estávamos nesse nível, rs).


Ollantaytambo - Vale Sagrado, Cusco

Ollantaytambo era um importante centro militar, religioso e cultural durante o Império Inca. A única cidade Inca que não foi totalmente desocupada, ou seja, sempre permaneceu ativa com moradores tentando recuperar parte do que foi destruído com a chegada dos espanhóis. Algumas casas ainda são habitadas por descendentes Inca, que usam até hoje a língua Quéchua.

A cidade é cercada por montanhas e rochas imensas esculpidas, repletas de marcações e lendas Incas. Uma delas tem o formato de um rosto (se olhar com atenção dá para ver direitinho), é do Deus Viracocha (ou Tunupa), que protege a cidade.


Tudo sobre o Vale Sagrado, Cusco - Peru

Há muitas curiosidades envolvendo a região, o sistema de aquedutos construído pelos Incas centenas de anos atrás funciona e distribui água potável para toda a cidade até hoje!

Outra coisa legal é que a partir de estudos em Ollanta, os arqueólogos fizeram descobertas importantes, como a forma que os Incas usavam para construir as suas cidades. Havia geralmente uma pedreira enorme no alto da montanha (assim como em Machu Picchu), daí eles iam extraindo as rochas e rolavam morro abaixo para facilitar as "obras". Eles encaixavam direitinho as pedras umas nas outras (não era usado nenhum tipo de argamassa) e depois poliam para que as paredes ficasse lisinhas.


Complexo arqueológico de Ollantaytambo

Boa parte destas construções (ou vestígios delas) ainda estão de pé, como é o Templo do Sol, formado por 6 megalitos (pedras enormes e inteiras de granito), que pesam mais de 80 toneladas cada uma.

Passeio de Cusco ao Vale Sagrado dos Incas

Para ver tudo isso do alto, dale subir degrau por degrau. Novamente valeu a pena! Que lugar!!


Ollantaytambo - Cusco, Peru

Muitos aproveitam para se despedir do grupo ali, seguem no Trem da tarde para Machu Picchu Pueblo (Águas Calientes) ou pernoitam em alguma pousada da região para seguir viagem no dia seguinte. Combine tudo bem direitinho com a empresa e o seu guia.


Para os que estão fazendo um Bate e Volta de Cusco (como foi o nosso caso), o passeio continua.

CHINCHERO

Nossa última parada foi em Chinchero, também conhecida como a cidade do tecelão.


Ateliês de tingimento e artesanatos de Chinchero

Visitamos o ateliê onde tivemos uma breve explicação de como as mulheres usam até hoje as técnicas Incas de tingimento para colorir a lã da lhama, das ovelhas, das alpacas...utilizando apenas corantes naturais (extraídos do milho, de cascas de árvores, sementes, flores, etc). Foi muito legal! Elas também vendem ali as peças que produzem e outros artesanatos.


Tudo sobre o Vale Sagrado dos Incas

Chinchero foi construída sobre uma antiga comunidade Inca. Os restos da fazenda real de Túpac Inca Yupanqui ainda permanecem lá até hoje.

Por lá mais algumas escadas (claro) para visitar a antiga praça e a igreja colonial do século XVI, construído sobre a base de um edifício Inca e decorada com pinturas da escola de arte cuzqueña.




Na praça principal funciona um pequeno centro de artesanatos e aos domingos acontece uma feira bem popular.


Tudo sobre o Valle Sagrado dos Incas

E assim, com um lindo entardecer, nos despedimos do Vale Sagrado e pegamos a estrada de volta a Cusco. Chegamos no hotel em torno de 19h.

Um dia intenso, mas que valeu cada minutinho. Foi uma imersão na cultura Inca, a partir desse Tour passamos a ver tudo com outros olhos. TEM QUE IR!

ONDE FICAR NO VALE SAGRADO

Como falei no inicio, o Vale Sagrado está no caminho de quem vai a Machu Picchu, então é comum ficar alguns dias na região antes ou depois de conhecê-lo. 

Mas esse não é o único motivo, ficar no Vale Sagrado também é para quem busca paz, contato com a natureza, seja numa simples pousada ou num Resort all inclusive. Vamos as sugestões:

URUBAMBA

Urubamba fica a aproximadamente 20km da estação de Trem de Ollantaytambo e a pouco mais de 50km de Cusco. É um dos lugares mais agradáveis para se hospedar no Vale Sagrado, para quem busca sossego, com muito verde, rios e montanhas a sua volta. É também onde estão concentrados a maioria dos hotéis de luxo da região.

Nós ficamos no Aranwa Sacred Valley Hotel & Wellness, um Hotel Spa 5 estrelas magnífico! Instalado numa antiga fazenda colonial mistura história e modernidade. Há quartos de alto padrão, lhamas e alpacas entre os jardins floridos, lagos de pesca, piscina, jacuzzi, spa, 3 restaurantes... um sonho de lugar, saímos renovadas de lá, veja AQUI.

Outros luxuosos e maravilhosos são: Belmond Hotel Rio Sagrado, o Tambo del Inka Resort & Spa, o Sol y Luna e o Inkaterra Hacienda Urubamba. Todos com estrutura excelente, ótimos restaurantes e café da manhã incluso.

Se sua intenção é ficar num Resort All Inclusive, quem faz a vez é o requintado Explora Valle Sagrado, que dependendo do número de diárias inclui até o passeio a Machu Picchu.

Para quem busca uma excelente opção com preços mais razoáveis indico o Tierra Viva Valle Sagrado ou o Wayqey Lodge

Entre os mais econômicos e bem avaliados estão o Villa Mercedes Hotel Urubamba e o Amaru Valle Hotel

✔️Veja AQUI todas as opções de hospedagem em Urubamba

OLLANTAYTAMBO

Ficar em Ollantaytambo significa estar próximo da estação de Trem que te leva a Machu Picchu Pueblo (Aguas Calientes), também oferece opções mais econômicas de hospedagem.

Os Hotéis mais próximos da estação de Ollantaytambo e com melhor custo x benefício são: Hotel Pakaritampu (50m), o Tambo de Ollantay (300m), o Hotel Tierra Inka Sacred Valley e o Terra Nostra (ambos a menos de 10 minutos de caminhada até a estação).

Se a intenção for ficar num 5 estrelas, reserve o Del Pilar Ollantaytambo (9km da estação).

Mas se a ideia é realmente economizar o Las Portadas, o B&B Sun Gate e o Hostel Apu Qhawarina, são opções boas e baratas perto da estação. Todos oferecem quartos com banheiro privativo e café da manhã incluso na diária.

✔️Veja AQUI todas as opções de hospedagem em Ollantaytambo


Veja Também:

👉 Cusco, PeruDicas essenciais para quem viaja pela primeira vez! 

👉 Onde ficar em Cusco, Machu Pichu e Vale Sagrado: de hotéis baratos aos mais luxuosos!

👉 5 passeios bate e volta de Cusco incluindo Machu Picchu.

👉 Onde comer em Cusco: Pratos típicos e dicas de restaurantes.

👉 O que fazer em Cusco: 10 pontos turísticos da cidade!

👉 Confira AQUI todas as nossas dicas do Peru.


Serviços:

Machupicchu Travel
www.machupicchu.com.pe
Telefone: +51 84 223010
WhatsApp: +51 98 4630919 /98 4654111

0 comentários:

Postar um comentário

Dicas de Hospedagem

Booking.com

Gastronomia

 

Siga no Instagram @blogtemqueir